Editorial

“Tomate de indústria, que perspetivas?”

Quando falamos de culturas hortícolas para transformação industrial, a do tomate é a que tem ganho mais destaque em Portugal, representando uma fileira marcada por elevada qualidade do produto, perfil empresarial muito dinâmico, inovação e especialização tecnológica. Ainda assim, o setor está a viver um momento conturbado, registando-se um decréscimo do números de produtores e de área.

Neste número de fevereiro da Revista Voz do Campo quisemos levar aos nossos leitores um trabalho de reportagem sobre o momento que a cultura do tomate de indústria está a atravessar.

Consultámos várias Organizações de Produtores e concluímos que as preocupações são comuns, uma vez que nos últimos anos a área de produção e o número de produtores/empresas têm vindo a reduzir.

Analisando as ajudas ao setor do tomate dos últimos anos, pagas pelo IFAP, nota-se uma diminuição das áreas de produção nos últimos cinco anos, com exceção de 2017, tal como uma diminuição da produção contratada, contrastando com valores da produtividade, que em 2019 atingiram o máximo de cerca de 100 ton/ha.

Há ainda a destacar neste nosso trabalho a referência ao Grupo Operacional Qualitomate. Foi criado numa perspetiva de melhoria da qualidade do concentrado de tomate, de forma a garantir a qualidade do produto final em tomate hortoindustrial e manter a credibilidade dos mercados internacionais relativamente ao tomate processado de origem portuguesa.

Não obstante as ameaças e pontos fracos da cultura, na programação das próximas campanhas de tomate indústria temos de acreditar nos seus pontos fortes, como a qualidade da produção, os solos e clima, o conhecimento técnico dos produtores e a consequente melhoria da produtividade por hectare, entre outros. Também não devemos descurar as oportunidades, vincadas pela reputação e diversidade de mercado, pelo aumento de consumo e pela procura de produto que a nível mundial regista um crescimento relativo aos derivados da indústria do tomate, como é o caso do molho de pizza, ketchup, molhos para massas, etc….

Boa leitura!

Paulo Gomes, Diretor

• Edição de fevereiro 2021, subscreva a nossa publicação.

• Veja também nesta edição a Grande Reportagem sobre o Tomate de Indústria.