EMPRESAS & PRODUTOS

BPI e Associação de Agricultores do Ribatejo (AAR) celebram protocolo para apoiar financiamento das empresas agrícolas

Foto do BPI: João Folque Patrício (Diretor Coordenador da Direção de Negócios de Agricultura, Turismo e Imobiliário);  Tina Sequeira (Diretora de Área – Santarém). AAR (membros da direção): Nuno Coimbra; Carlos Henriques.

Mais de 350 associados da AAR vão contar com a assessoria de equipas especializadas do BPI e ofertas específicas de crédito dirigidas ao setor agrícola e agroindustrial.

〈 23/02/2021 〉

O BPI, representado pelo Diretor Coordenador da Direção de Negócios de Agricultura, Turismo e Imobiliário, João Folque Patrício, e a Associação de Agricultores do Ribatejo (AAR), representada pelos membros da direção Nuno Coimbra e Carlos Henriques, celebraram um Protocolo Comercial, através do qual os associados da AAR vão beneficiar de condições comerciais especiais no financiamento bancário.

A parceria entre as duas entidades, assinada na sede da AAR, tem como finalidade apoiar os cerca de 350 associados (empresas / empresários agrícolas) da AAR na escolha das melhores soluções de financiamento.

O BPI apresenta um conjunto de soluções completas que se adequam às múltiplas necessidades das empresas agrícolas e agroindustriais, nomeadamente para apoio à tesouraria e ao investimento. O Banco aposta também na simplificação do processo de contratação das operações, com um acompanhamento dedicado de equipas especializadas.

A AAR foi fundada em 1976, com sede em Santarém e tem cerca de 350 associados, sendo uma referência na Lezíria do Tejo.

Liderança no apoio ao setor agrícola

A Agricultura é um dos setores prioritários eleitos pelo BPI. O Banco assume a liderança destacada na linha de crédito de curto prazo à agricultura, silvicultura e pecuária do Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas (IFAP), com uma quota de 48%[1] do montante total de crédito enquadrado e lidera igualmente em número de pedidos de adiantamento de subsídios à exploração concedidos pelo IFAP e validados pela CAP, com uma quota de 59%[2].

Adicionalmente, o Banco promove, anualmente, o que melhor se faz neste setor, distinguido os agricultores e as empresas portuguesas no setor da Agricultura através do Prémio Nacional da Agricultura, promovido conjuntamente com a Cofina (Correio da Manhã e Jornal de Negócios) e que conta com o patrocínio do Ministério da Agricultura e o apoio da PWC.

[1] Fonte: Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas (IFAP). Valores a 30 de setembro de 2020.

[2] Fonte: Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP). Dados relativos à campanha agrícola de 2019. Valores a 13 de novembro de 202030/09/2019.