EMPRESAS & PRODUTOS Hortofruticultura

Cultura da Amendoeira: Fitolivos/Arvensis na simbiose solo/raiz

A amendoeira e o solo

〈 02/03/2021 〉

Na cultura da amêndoa, como em todos as culturas, existem inúmeros fatores que determinam o seu sucesso em termos de produtividade, mas o mais determinante é, sem qualquer dúvida, o sistema radicular. É possível realizar o fornecimento de nutrientes através de aplicações foliares, mas o principal meio de absorção de nutrientes são as raízes. Assim, boas raízes serão a garantia de desenvolvimento do potencial máximo de produção da amendoeira.

As raízes têm imensas funções na árvore, absorvem nutrientes, como referido anteriormente, e água, mas são também órgãos de suporte e crescimento, são reservatórios e sintetizam inúmeros produtos fundamentais para árvore.

No caso da amendoeira, o tipo de sistema radicular irá depender do tipo de propagação (seminal, in vitro, estaca) e da forma com é realizado o transplante.

Um outro fator importante é ainda o sistema de condução, uma vez que amendoeiras cultivadas no sistema de sebe, não misturam as suas raízes, isto é, as raízes de uma árvore crescem até que se encontram com as da árvore vizinha.

Em relação ao tipo de solo e sua textura, solos arenosos e argilosos onde a permeabilidade é boa, leva a um melhor desenvolvimento das raízes da amendoeira, sendo que que uma boa profundidade também será um fator benéfico para que estas se desenvolvem e ocupem um maior volume de solo.

A amendoeira é uma cultura não muito exigente quanto à qualidade dos solos, sendo que as propriedades físico-químicas do solo demarcam a qualidade e crescimento do seu sistema radicular o que determina o rendimento e produtividade da cultura.

A humidade que existe no solo é também uma questão que influencia a qualidade do sistema radicular, uma vez que as raízes conseguem difundir-se num ambiente onde existe água.

Em conclusão, a amendoeira é uma cultura não muito exigente quanto à qualidade dos solos, sendo que as propriedades físico-químicas do solo demarcam a qualidade e crescimento do seu sistema radicular o que determina o rendimento e produtividade da cultura.

Um solo vivo, com biodiversidade e a agricultura

A vida elementar de um solo advém da sua biodiversidade e torna-se fulcral preservá-la. Todas as atividades que tem como base o solo deveriam ter como objetivo a sua sustentação.

O ecossistema que existe ao nível do solo, e que é constituído por inúmeros microrganismos, invertebrados e raízes das plantas, desempenha numerosas e importantes funções. Estes são responsáveis pela reciclagem de resíduos orgânicos; regulam o fluxo de carbono e o ciclo da água; afastam pragas e doenças; descontaminam solos poluídos, entre outros.

Em relação à proteção das culturas, um solo com elevada biodiversidade, é um solo em que é mais fácil o controlo de pragas e doenças, uma vez que, a variabilidade de espécies predadoras e nutrientes variados, conduz a um equilíbrio e a uma menor propensão para a existência de pragas e doenças.

A prática da agricultura contraria todos estes requisitos uma vez que pratica, muitas vezes, a monocultura, o que conduz a um desequilíbrio, que leva ao aumento da ocorrência de pragas e doenças. Para além disto, o uso excessivo de produtos fitofarmacêuticos é também prejudicial aos organismos vivos, uma vez que poderá conduzir à perda de biodiversidade.

Tendo em conta este fator preponderante é possível utilizar este equilíbrio natural a nosso favor, para o controlo de pragas e doenças, como substituto da aplicação de produtos fitofarmacêuticos, que possuem tantos efeitos adversos e prejudiciais.

Os microrganismos são capazes de aumentar a produtividade das culturas por meio de vários mecanismos, que em muitos casos ocorrem simultaneamente: produção de hormonas vegetais, produção de sideróforos, solubilização de fósforo e silício, mobilização de potássio ou fixação de azoto atmosférico, entre outros.

Os fungos micorrízicos são ecologicamente significativos porque formam uma associação simbiótica mutualística com as raízes da planta hospedeira. A planta hospedeira fornece ao fungo fontes de carbono solúvel, e o fungo permite que a planta hospedeira aumente sua capacidade de absorver água e nutrientes do solo.

Como a maioria das plantas está associada a fungos micorrízicos, alguns autores afirmam que as micorrizas, e não as raízes, são os principais órgãos de absorção de nutrientes pelas plantas.

Esses fungos desempenham um papel vital nos ecossistemas agrícolas, pois podem melhorar a nutrição das plantas, o seu crescimento, melhorar a taxa de sobrevivência e o desenvolvimento de plantações, a uniformidade das produções e a capacidade reprodutiva, e também aumentam a resistência ou tolerância das plantas às adversidades.

Um outro ponto importante na nutrição sustentável dos solos prende-se com a necessidade de melhorar de forma concertada as suas condições físicas, químicas e biológicas, sendo que a principal passa por promover um aumento da disponibilidade de nutrientes e consequentemente o aumento da fertilidade do solo.

Os microrganismos são capazes de aumentar a produtividade das culturas por meio de vários mecanismos, que em muitos casos ocorrem simultaneamente: produção de hormonas vegetais, produção de sideróforos, solubilização de fósforo e silício, mobilização de potássio ou fixação de azoto atmosférico, entre outros.

Para além disto, esta nutrição que é dada desta forma, pode servir de “alimento” aos microrganismos do solo, criando um ciclo contínuo, que se renova de forma equilibrada e sustentável no solo.

Na agricultura torna-se premente e de extrema importância respeitar e estimular o desenvolvimento da vida do solo, de forma a ter um solo fértil capaz de nutrir e proteger as plantas sendo que, para isso, a incorporação de matéria orgânica de qualidade e de forma regular torna-se também fundamental.

Para além disto, não pode ser descurada a poluição ambiental, na medida em que se torna de extrema importância manter um equilíbrio entre os nutrientes que são incorporados no decorrer da prática da agricultura, particularmente o azoto e o fósforo, e os que são efetivamente absorvidos pelas plantas. Os nutrientes que não são consumidos tornam-se poluentes, não só do solo, mas também do ar e da água.

Esta preocupação é aliás a da Comissão Europeia, que está a planear reduções significativas na utilização de fertilizantes como parte integrante da estratégia da UE para a Biodiversidade até 2030.

A Fitolivos/Arvensis

Na vanguarda da investigação, com preocupações ambientais e com o foco na biodiversidade do solo e consequentemente no aumento do rendimento das culturas, a Arvensis usa microrganismos para melhorar o aproveitamento dos recursos naturais do solo; o que permite uma nutrição correta das culturas.

Ferttybyo

O Ferttybyo é um bioestimulante natural formulado com microrganismos benéficos, que facilitam a libertação de nutrientes já presentes no solo, disponibilizando-os para a planta. A sua aplicação contínua ao solo provoca um aumento no desenvolvimento vegetativo da planta, favorecendo interações benéficas no ambiente rizosférico e no desenvolvimento radicular das culturas. É produzido a partir de suspensões de células líquidas de microrganismos benéficos com uma alta população (entre 109-1012 UFC/mL). Os microrganismos contidos, uma vez aplicados, estabelecem-se na zona rizosférica das plantas, estabelecendo interações simbióticas nas quais a planta e o microrganismo se beneficiam mutuamente. A planta fornece substâncias necessárias para o desenvolvimento de microrganismos (como certos açúcares), enquanto os microrganismos fornecem à planta uma infinidade de substâncias que, por si só, são incapazes de produzir.

Este produto melhora visivelmente a qualidade das raízes e a resistência da planta a sofrer doenças sem atacá-la ou comprometer a sua qualidade final.

Pode ser aplicado em todos os tipos de solos saudáveis e degradados e naqueles em que a presença de microrganismos benéficos foi afetada negativamente. Pode ser aplicado em solos argilosos, argilosos ou arenosos, sendo igualmente eficaz.

Rhyzas

O Rhyzas é um novo produto da Arvensis formulado com micorrizas do tipo FMA (fungo micorrízico arbuscular). Este facto é de grande importância, uma vez que as culturas agrícolas estão principalmente associadas a este tipo de fungo micorrízico. Assim, os FMA tornam-se cruciais para a estrutura e fertilidade do solo.

De todos os FMA, a Arvensis fez uma seleção detalhada para fazer do Rhyzas um produto completo, com uma ampla capacidade simbiótica com múltiplas culturas e com uma evidente melhoria na sua produção. Este produto possui de inóculo micorrízico 1,5 x 104 propágulos/g.

Os FMA produzem polissacarídeos, glomalina, mucilagens e hidrofobinas que atuam ligando as partículas do solo, o que leva a uma maior capacidade de retenção de água.

Por outro lado, os fungos micorrízicos que Rhyzas possui, também intervêm na conservação do solo. Ao melhorar a absorção de nutrientes das plantas, aumentam a produtividade das plantas, o que permite a existência de uma maior quantidade de matéria orgânica. Por fim, os fungos micorrízicos alteram a composição dos exsudatos radiculares, que servem de alimento para outros microrganismos rizosféricos essenciais para o crescimento das plantas e para a assimilação de nutrientes.

Cripthum

O Cripthum é uma suspensão líquida concentrada de partículas de ácidos húmicos e fúlvicos encapsuladas, extraída de leonardite natural cuidadosamente selecionada, cuja principal característica distintiva de outras é o seu pH ácido. É especialmente indicado para melhorar a estrutura dos solos, favorecendo a liberação de nutrientes bloqueados e estimulando a capacidade de retenção do solo. Da mesma forma, a sua ação de bioestimulação vegetativa nas raízes e parte aérea das plantas permite um desenvolvimento mais equilibrado.

Orgaplant Organic

O Orgaplant Organic é um produto com elevada concentração de azoto orgânico proveniente de fermentados vegetais. Pela sua concentração em aminoácidos livres é ideal para ser aplicado por via radicular em situações críticas da planta, como quando esta se encontra sujeita a algum tipo de stress ou tenha sofrido algum transtorno, uma vez que potencia a sua recuperação. Com a sua aplicação melhora-se o sistema radicular da planta aumentando o nível de matéria orgânica no solo e aumentando a massa vegetal e consequentemente o rendimento da cultura.

Todos estes produtos encontram-se certificados pela BCS-ÖKO para uso na agricultura biológica como fertilizante.

O uso de fertilizantes microbiológicos, como o Ferttybyo e o Rhyzas, aplicados em conjunto com Cripthum e o Orgaplant Organic, aumentam o rendimento e protegem as culturas, com a vantagem adicional de serem ambientalmente inócuos.

Para além disto, estes produtos permitem a apresentação de uma solução sustentável para um plano de fertilidade do solo sem recurso exclusivo à fertilização química. Isto traduz-se ainda numa significativa economia de fertilizantes.

Desta forma, a aplicação destes produtos em conjunto, inseridos num sistema integrado de bioproteção e nutrição dos solos, fornece nutrientes e melhora a biodiversidade dos solos o que se traduzirá numa melhoria fitossanitária, bem como no aumento da produtividade da cultura da amêndoa.

Autoria: Rita Ganso