Política Agrícola

Um dos principais objetivos da Presidência Portuguesa é a conclusão da negociação da PAC

No âmbito da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, que decorre desde 1 janeiro até 30 junho de 2021, a Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, reuniu no início de março com a imprensa da especialidade com objetivo de apresentar as prioridades traçadas para este período.

A governante referiu-se três linhas prioritárias que são promover uma recuperação europeia, que dê uma resposta forte aos efeitos económicos provocados pela pandemia, alavancada pelas transições climáticas e digitais; concretizar o Pilar Social da União Europeia, como elemento essencial para assegurar uma transição climática e digital justa e inclusiva e ainda reforçar a autonomia estratégica de uma Europa aberta ao Mundo, para garantir uma capacidade de resposta a novas crises, como a que atualmente atravessamos.

Dentro do setor agrícola as prioridade inserem-se sobretudo nas linhas de ação que visam promover uma “Uma Europa Resiliente e Uma Europa Verde”. Tais objetivos baseiam-se em quatro as grandes prioridades: a Reforma da PAC, para uma agricultura mais verde e mais resiliente; o desenvolvimento rural, para reforçar o papel da agricultura no combate ao abandono dos territórios, desenvolvendo práticas sustentáveis e biológicas; a Segurança alimentar, reforçando a suficiência alimentar europeia, de mãos dadas com o bem-estar animal e a sanidade vegetal e também a Inovação, apostando na transição digital do setor agroalimentar, promovendo um uso mais eficiente dos recursos.

Artigo completo publicado na edição de março 2021.