EMPRESAS & PRODUTOS Formação

Terapia Verde – Um setor em crescimento

Temos seguido um trilho “eletrónico” nas últimas décadas, os nossos filhos parecem já conhecer por “intuição” os tablets e os telemóveis.

Ficamos espantados com a facilidade e familiaridade que têm com a eletrónica e o mundo digital, que, por um lado os sossegam permitindo que os pais façam outras coisas, mas por outro, observa-se que isto não é natural e que estes comportamentos podem comprometer o futuro. Nós, adultos, apesar de nos preocuparmos com estes sinais, por vezes, também ficamos imergidos neles – sejam Redes Sociais, Televisão, Jogos, etc.

O Planeta está acelerado e, possivelmente, o tempo de movimentação de rotação da Terra não nos chega. Temos o auxílio destas ferramentas eletrónicas para nos ajudar, mas também para nos aprisionar e gerar mais pressão e mais “stress” sobre a sociedade.

Como referimos anteriormente, isto é “anti natura”. O mundo virtual, está em todo lado e em lado nenhum. O que é natural e inquestionável é a ligação com a “terra”. Quando acordamos, a primeira coisa que pisamos é o chão, e mantemos esta ligação durante todo o dia. Isto quer dizer que existe uma “conexão” natural com a terra, ao contrário da “conexão” com o mundo virtual.

O “stress” que mencionamos já havia sido diagnosticado nos países mais desenvolvidos há 30 anos, sendo neste momento aceite mundialmente como uma doença

Umas das soluções de combate a esta doença e ao equilíbrio do ser humano, é a Terapia Verde, o exercício de atividades “ligadas” com a jardinagem e com a agricultura.

Estas atividades não só permitem o “reiniciar” dos sistemas do ser humano, mas também desenvolvem a atividade física, contrariando o sedentarismo e a obesidade. Permitem, de igual modo, dar às pessoas o poder da criação. Através da dedicação e do amor, é possível fazer plantas florir e dar frutos. Podemos, numa data futura, colher o resultado do nosso trabalho e saber toda a sua origem.

A Terapia Verde não “maquilha” o mundo, mas sim permite observá-lo como ele sempre foi.

Existem já várias ramificações estratégicas para a Terapia Verde:

Crianças: Esta visa conferir movimento (físico e mental) às crianças, combatendo o sedentarismo, dar a conhecer a Mãe Natureza, e que os alimentos não crescem online. Permite que a criança tenha algumas noções de autossustentação e de responsabilidade ambiental, que consiga saber que existe uma causa efeito no trabalho e que esta relação, às vezes, não é imediata, mas que através da dedicação contínua, é possível colher frutos. Este ramo também aproxima as famílias, permite o desenvolvimento do trabalho de equipa e o estreitar de laços.

Sugestões SIRO

Adulto: Ele tem praticamente todos os efeitos que tem na criança, acrescentando o facto que permite uma desconexão do stress do dia a dia, contribuindo para uma limpeza da mente. Permite uma satisfação quando se atingem objetivos. O fazer-se rodear de um mundo vegetal colorido, alegra o espírito de quem lhe dedicou o seu tempo como também de quem o vê. A beleza é contagiosa e beleza vai gerar mais beleza.

Idoso: O envelhecimento é um processo natural e inevitável, contudo é possível garantir maior qualidade de vida com hábitos saudáveis. À medida que vamos ficando “mais velhos” o nosso corpo vai perdendo a sua agilidade. Os processadores internos e memória ficam cansados. Para o sistema fazer um “reboot”, temos de elaborar uma atualização. Existem muito ramos da medicina, como por exemplo a fisioterapia, que incorpora nos exercícios dos idosos a prática da jardinagem. A sensação de mexer com as mãos num substrato, de ver e cheirar uma flor, retardam os efeitos do aumento da idade.

Estas atividades, quando praticadas ao sol permitem a produção de Vitamina D, a Vitamina do Sol. Esta vitamina é de extrema importância em todas as idades, pois desempenha uma função importante no organismo contribuindo para a manutenção normal dos ossos e da função muscular.

Autoria: Leal & Soares S.A.

Artigo completo publicado na edição de março 2021.