Floresta

Contas Económicas da Silvicultura

Contas Económicas da Silvicultura: Em 2018, o VAB da silvicultura diminuiu 2,1% em volume e aumentou 5,3% em valor. Em 2019, o saldo da balança comercial dos produtos de origem florestal manteve-se em 2,6 mil milhões de euros

Em 2018, o Valor Acrescentado Bruto (VAB) da Silvicultura diminuiu 2,1% em volume e aumentou 5,3% em valor, verificando-se um significativo acréscimo do Consumo Intermédio (CI), em volume e valor (10,1% e 15,7%, respetivamente).

Observou-se um aumento nominal da Produção da silvicultura (8,3%), para o qual contribuíram, sobretudo, a Cortiça (+25,1%) e os Serviços silvícolas (+21,7%), que mais do que compensaram o decréscimo da produção de madeira (-3,1%), após a elevada oferta verificada no ano anterior, na sequência dos grandes incêndios florestais (de junho e outubro de 2017). O acentuado aumento do CI foi determinado fundamentalmente pela componente relativa a serviços silvícolas (nomeadamente operações de limpeza e desbaste de floresta, recolha de sobrantes e construção de caminhos corta fogos).

Consulte as Contas Económicas da Silvicultura de 2018 ↔ AQUI.

Fonte: INE