Floresta

Sabe no que consiste a técnica do riscado/risco no descortiçamento?

Um sobreiro precisa de cerca de 25 anos para começar a produzir cortiça. O descortiçamento é o processo ancestral de extração da casca do sobreiro – a cortiça. Ainda hoje, este trabalho é feito por profissionais especializados, que fazem com uma precisão absoluta, utilizando apenas o machado.

A técnica do riscado/risco é uma prática aplicada no primeiro descortiçamento, que consiste na passagem ligeira e superficial da ponta do machado na direção vertical da superfície de descortiçamento após a extração da cortiça virgem.
Pretende reduzir as forças de tensão criadas pelo crescimento do lenho em relação ao crescimento da cortiça secundeira, e desta forma reduzir o aparecimento de fendas na cortiça secundeira extraída. É uma prática algo em desuso pelo risco de provocar feridas no entrecasco da árvore. No entanto, praticada por profissionais experientes, permite resultados positivos em algumas árvores como a que vemos na foto.

O montado e a cortiça é uma fileira que o CEF – Centro de Estudos Florestais investiga há muitos anos, em numerosos projetos de investigação nacionais e internacionais, tendo publicado centenas de trabalhos científicos sobre o montado, o sobreiro e a cortiça.

Fonte: CEF – Centro de Estudos Florestais