Cereais Inovação

VALORCER. Criar valor na fileira dos cereais

Portugal apresenta um dos mais baixos níveis de autoaprovisionamento do mundo, sendo que na UE apenas têm valores inferiores Chipre, Malta e Holanda (que tem um consumo excecionalmente elevado, mais do dobro do português, devido à importância da pecuária intensiva, sendo a sua produção de cereais 40% superior à portuguesa).

O grau de autoaprovisionamento dos cereais que era de cerca de 50% no início da década de 90, é atualmente dos cereais de 90, é atualmente cerca de 25%, uma vez que a produção não acompanhou o aumento do consumo interno, em particular para alimentação animal o que, reconhecidamente, constitui uma preocupação para o nosso pais, colocando em causa a nossa soberania alimentar.

É neste contexto que surgiu a Estratégia Nacional para a Promoção da Produção de Cereais e que foi construído o projeto VALORCER, que visa dar corpo a um conjunto de iniciativas no âmbito da Criação de Valor na Fileira dos Cereais. São objetivos do projeto contribuir para inverter a tendência de diminuição da produção de cereais que se tem verificado nas últimas décadas em Portugal e, assim, contrariar as graves consequências negativas que hoje se verificam na taxa de aprovisionamento do país, no défice comercial e na competitividade e sustentabilidade da própria fileira agroalimentar.

Todo o projeto, desde a fase de sensibilização e mobilização, até ao desenvolvimento e implementação das atividades, quer de cooperação, quer de capacitação estratégica, visa qualificar as empresas e a própria fileira, induzindo a introdução de processos que contribuam para a criação de valor e para a construção de vantagens competitivas pela diferenciação, olhando o mercado de uma forma proactiva e procurando a criação de propostas de maior valor acrescentado para mercados cada vez mais sofisticados e exigentes.

É neste mesmo contexto que a ANPOC – Associação de Produtores de Milho e Sorgo, copromotoras do projeto VALORCER, desenvolvem as Agendas de Inovação CEREALTECH e INOVMILHO.

AGENDAS DE INOVAÇÃO

Apesar do excelente desempenho do setor Agroalimentar no mercado global, a indústria agroalimentar, na qual se inclui a fileira dos cereais nacional, enfrenta atualmente a sua evolução e competitividade.

A globalização dos mercados bem como a alteração dos padrões e necessidades dos consumidores exigem novas e inovadoras soluções. Fenómenos como o crescimento da população mundial, as alterações climáticas, o surgimento de doenças emergentes, a escassez de água, acesso e a segurança de produtos com o consequente impacto na indústria agroalimentar são desafios a que a fileira tem de dar resposta.

Neste contexto a investigação e a inovação são fundamentais e deverão ser orientadas para responder às exigências do mercado, garantindo à fileira capacidade de internacionalização e de incremento das exportações, que assumem um papel preponderante para o desenvolvimento e o seu sucesso.

Dada a importância da Inovação e após um enorme trabalho de partilha de informação envolvendo toda a fileira foram definidos planos de inovação para o período 2020 a 2027.

CEREALTECH – ANPOC

ÁREAS DE ATUAÇÃO E OBJETIVOS MACRO

A agenda de inovação Cereal – tech (ANPOC) foi apresentada dia 3 de junho de 2020, em formato webinar, tendo contado com a presença e participação da Ministra da Agricultura. O evento contou ainda com testemunhos de toda a fileira – produção, investigação, indústria e distribuição – e com a participação de mais de 120 entidades do setor.

INOVMILHO – ANPROMIS

ÁREAS DE ATUAÇÃO E OBJETIVOS MACRO

A agenda INOVMILHO foi finalizada e a sua divulgação foi iniciada no passado dia 7 de maio, esperando-se a sua apresentação formal no Dia de Campo da ANPROMIS, que habitualmente se realiza em Setembro.

 


ATIVIDADES DO PROJETO

Devido à Pandemia, e embora a fileira dos Cereais nunca tenha parado, o projeto VALORCER viu algumas das suas atividades adiadas, nomeadamente aquelas que previam uma maior afluência de participantes. Cumprindo estritamente todas as normas de segurança e distanciamento social, tornou-se possível a realização da 1ª Conferência para a Competitividade prevista no projeto. A Conferência realizou-se no dia 2 de julho, em Coruche, e teve como tema “A competitividade da Fileira dos Cereais na próxima década”. O objetivo destas Conferências é servirem como ações de sensibilização para os fatores críticos de competitividade na fileira.