Agropecuária EMPRESAS & PRODUTOS Pastagens & Forragens

30 anos depois a Fertiprado continua a trabalhar no sentido de acrescentar valor ao setor agropecuário

Até 1990, ano da fundação da Fertiprado, as pastagens e forragens cultivadas eram praticamente inexistentes nas explorações agropecuárias portuguesas.

Em simultâneo, a adesão de Portugal e Espanha à Comunidade Económica Europeia (1986) abriu novas perspetivas para o incremento da produção de ruminantes, estimulando o cultivo de pastagens e forragens para melhor alimentar um crescente número de animais.

David Crespo é o nome associado à fundação da empresa de Monforte e foi enquanto Investigador e responsável pelo Departamento de Pastagens e Forragens da Estação Nacional de Melhoramento de Plantas que procurou encontrar soluções que permitissem o uso de leguminosas na constituição das pastagens e forragens de modo a fornecer mais proteínas aos animais. Na sua investigação concluiu que, para aumentar a persistência e produtividade de tais culturas, era indispensável inocular as sementes de leguminosas com rizóbios específicos e associá-las a gramíneas, de preferência usando misturas de sementes contendo várias espécies e variedades bem adaptadas às condições de solo e clima. Pela descrição do mesmo, “foi assim que nasceram as misturas biodiversas ricas em leguminosas que vieram a constituir a filosofia base do melhoramento das pastagens e forragens”.

Foi a partir desta ideia que nasceu a Fertiprado, que entretanto a desenvolveu através da sua equipa e se foi impondo no terreno e no mercado como empresa fornecedora de soluções de pastagens e forragens de elevada qualidade, bem adaptadas às condições edafoclimáticas, capazes de aumentar consideravelmente a rendibilidade das explorações pecuárias. Além disso, proporcionam também um importante serviço ecológico através da capacidade para fixar azoto atmosférico e sequestrar carbono no solo.

David Crespo foi o impulsionador das pastagens e forragens cultivadas em Portugal e fundador da Fertiprado.

Olhando para trás, nos primeiros anos de atividade, a Fertiprado concentrou-se em Portugal, com algumas realizações também na Extremadura espanhola. Depois chegou a outras regiões espanholas, a Itália e mais tarde ao Uruguai, com venda de sementes também noutros países da Europa, chegando aos Estados Unidos e à Austrália.

Um progresso muito por conta de uma equipa de técnicos comerciais, estimulada e apoiada por uma sólida equipa de gestão, tal como nos trabalhos do Departamento de Investigação e Desenvolvimento que, entre outras atividades, tem criado novas variedades de espécies pratenses e forrageiras, aumentado consideravelmente a gama de plantas disponíveis.

É também resultado deste trabalho que a Fertiprado é frequentemente solicitada para participar em projetos de I&D, nacionais e internacionais, que paralelamente tem contribuído para o progresso da sua atividade, aumentando-lhe o prestígio.

30 anos depois a Fertiprado depara-se com dois grandes objetivos

30 anos depois a Fertiprado depara-se com dois grandes objetivos, o primeiro muito ligado ao legado e historial da empresa. Quer continuar a inovar e a manter-se na vanguarda tecnológica das misturas biodiversas, daí uma aposta crescente na direção de I&D e no seu envolvimento e crescente em projetos de investigação e inovação nacionais e internacionais.

O segundo desafio refere-se ao crescimento da empresa além fronteiras, através da sensibilização dos diferentes mercados para a importância das misturas biodiversas ricas em leguminosas na proteção do meio ambiente e particularmente dos solos.

Além dos planos de expansão geográfica, a Fertiprado também tem planos para a expansão para o mercado das sementes puras

Neste momento a empresa tem subsidiárias em Espanha, Itália e Uruguai, mercados bastante importantes para o crescimento do seu volume de negócios. Mas também acredita no potencial de outros mercados, como o francês e o alemão, onde não está presente diretamente mas onde já tem um conjunto de parcerias consolidadas. E a procura de outras parcerias não cessa, quer seja diretamente quer seja a nível de projetos de investigação para avaliação da adaptabilidade das suas soluções e variedades de leguminosas.

Consciente de que o crescimento até agora tem sido sustentado e que daqui para a frente terá de ser igual, além dos planos de expansão geográfica, a Fertiprado também tem planos para a expansão para o mercado das sementes puras, sendo já hoje um dos principais produtores mundiais de algumas leguminosas anuais.

E em resumo, a Fertiprado vai continuar a trabalhar sempre no sentido de acrescentar valor ao setor agropecuário. Mas, dando sequência às suas diferentes valências, vai também aumentar o foco no mercado não pecuário, como o agrícola e agro-industrial, através do desenvolvimento de gamas para culturas de cobertura, inter-culturas, adubos verdes e outras, para que estes sectores beneficiem também dos pilares que são a base da sua existência: a biodiversidade e as leguminosas.