Agroindústria Hortofruticultura

Juntar ciência à tradição para valorizar o território

A Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, visitou no dia 7 de outubro de 2020 uma plantação de amendoeiras da empresa Vera Cruz, no Fundão, que assinalou simbolicamente a colheita das primeiras amêndoas, um ano antes do previsto.

Conforme avança a página oficial do governo, iniciado em 2017, o projeto estende-se entre os concelhos do Fundão e de Idanha-a-Nova e prevê um investimento global de cerca de 50 milhões de euros, a concretizar em diferentes fases e integrando a criação de uma unidade fabril de descasque de amêndoa.

À margem da visita, Ana Abrunhosa disse aos jornalistas presentes que «este projeto é um bom exemplo do caminho a seguir ao nível da coesão territorial e da diversificação da base económica dos territórios do interior», uma vez que associa «agricultura, indústria, inovação, tecnologia e conhecimento».

A Ministra destacou também o facto de empresas como esta contribuírem para a atração de jovens qualificados para estes territórios que «são agricultura, são floresta, são turismo, mas também têm de ser mais do que isso».

Tecnologia é um «grande aliado» da agroindústria

Ana Abrunhosa referiu-se também à tecnologia como um «grande aliado» para a agroindústria, acrescentando que o Governo vai acarinhar os projetos que integrem ciência, tecnologia e conhecimento como forma de contribuir para a valorização de recursos e para a criação de valor da economia.

«A competitividade ganha-se em diferentes domínios, nomeadamente introduzindo ciência, tecnologia e conhecimento nestas atividades, dando-lhes escala e contribuindo para a diversificação da atividade económica», frisou.

A Ministra relembrou que o Governo tem, até final do ano, linhas de apoio dedicadas ao investimento inovador e aos territórios do interior, além dos apoios à contratação de recursos humanos qualificados e à fixação de pessoas.