Hortofruticultura

Tempo prejudica castanha em Marvão

Campanha marcada pela pouca procura do mercado

A produção de castanha na zona de Marvão, no Alto Alentejo, foi este ano prejudicada pelo tempo seco e quente, além de a campanha estar a ser marcada pela pouca procura do mercado, segundo os produtores.

“A campanha está a ser má, devido ao calibre fraco da castanha e à pouca animação do mercado”, referiu o presidente da Cooperativa Agrícola Cerealicultores de Porto da Espada (CACPE), Fernando Alfaiate.

De acordo com o responsável, a castanha, “pouco podre”, mantém “a boa qualidade”, mas apresenta um “calibre fraco” por causa do tempo seco durante a primavera e por se ter vivido um verão “demasiado quente”.

Com cerca de 20 associados produtores de castanha, a cooperativa de Marvão, a única zona a sul do Tejo onde se verifica a existência de castanheiros, vê predominar nos seus campos as espécies Bária e Clarinha.