Agropecuária EMPRESAS & PRODUTOS

Carnalentejana volta a provar o seu valor

10 Medalhas de Ouro no Concurso Nacional de Carnes Tradicionais Portuguesas

O Concurso Nacional de Carnes Tradicionais Portuguesas, que o CNEMA realiza com a Qualifica/oriGIN Portugal, procura premiar, promover e divulgar as carnes tradicionais portuguesas com nomes qualificados. Conheceram-se recentemente os vencedores da 9.ª edição, entre os quais a Carnalentejana (Agrupamento de Produtores de Bovinos da Raça Alentejana), galardoada com 10 medalhas de Ouro na categoria Carne de Bovino.

A Carnalentejana DOP, reconhecida pela União Europeia desde 1996, conquistou 10 medalhas de Ouro nos seguintes produtos: Costeleta de Vaca Maturada; Lombo de Novilho; Vazia de Novilho; Lombo de Vitelão; Vazia de Vitelão; Carne Picada de Bovino 100% Carne Fresca; Hambúrguer de Bovino 100% Carne Fresca; Carne Picada de Bovino Ultracongelada; Almôndegas de Bovino Ultracongeladas e ainda Hambúrguer de Bovino Ultracongelado.

Data de 1996 o reconhecimento da Carnalentejana DOP pela União Europeia

Recorde-se que o Concurso Nacional de Carnes Tradicionais Portuguesas é aberto a todos os produtores de carnes de aves, de bovino, de caprino, de ovino e de suíno cujos nomes estejam reconhecidos como IG/IGP ou como DO/DOP ou se encontrem em processo de qualificação pela Qualifica/oriGIN Portugal.

Toda a atividade da produção é acompanhada desde o nascimento dos animais até aos locais de consumo

Na Carnalentejana, toda a atividade da produção é acompanhada desde o nascimento dos animais até aos locais de consumo. A rastreabilidade de todos os bovinos é efetuada de acordo com os livros genealógicos da Raça Alentejana, que são a base do completo rastreio de todos os bovinos comercializados pela Carnalentejana.

O que hoje pode ser encarado como um verdadeiro caso de sucesso, remonta ao contexto socioeconómico do início dos anos 90, depois da recente adesão à CEE, quando alguns agricultores/criadores de bovinos de Raça Alentejana sentiram necessidade de comercializarem em conjunto os seus produtos, pois com a descida generalizada dos preços dos bovinos verificada em princípios de 1992 os produtores isolados no mercado tinham bastante dificuldade em escoar o seu gado, que normalmente atingia baixas cotações.

Artigo completo publicado na edição de dezembro 2020.