Agroalimentar Hortofruticultura

Fruta Feia é uma solução que salva 16,5 toneladas de frutas e hortícolas cada semana

Isabel Soares

Depois de se formar em Engenharia do Ambiente no IST e fazer dois estágios em Lisboa, Isabel Soares mudou-se para Barcelona onde fez um mestrado pós-laboral em Energias Renováveis e onde ficou a trabalhar durante sete anos.

〈 10/02/2021 〉

Em 2012, ao ver um documentário sobre desperdício alimentar apercebeu-se de que cerca de 30% do que era produzido pelos agricultores era desperdiçado por razões estéticas. Esta ditadura da estética a que estão sujeitas frutas e hortícolas indignou-a, e a ideia da ‘Fruta Feia’ surgiu-lhe como uma necessidade, como uma maneira de canalizar esses produtos diretamente dos agricultores até aqueles consumidores que, tal como ela, não julgam a qualidade pela aparência.

Essa ‘ideia’ materializou-se e hoje envolve 266 produtores e cerca de 6500 consumidores. Ao longo deste percurso já salvou 2 673 toneladas de frutas e hortícolas. Em Entrevista à Voz do Campo, Isabel Soares dá-nos a conhecer a Cooperativa que veio desconstruir os modelos de consumo até então existentes, mostrando que há outros caminhos possíveis.

Como nasce o Projeto Fruta Feia e com que objetivos?

Ao ler um jornal português apercebi-me que estava a ser promovido pela Gulbenkian um concurso – Ideias de Origem Portuguesa – para portugueses que residiam no estrangeiro e tinham uma ideia de um projeto para desenvolver no país, o que encaixava perfeitamente na minha situação.

Essa foi a motivação necessária para começar a transpor a ideia da Fruta Feia da minha cabeça para o papel e fazer dela um projeto ambiental, social e economicamente viável.. Em junho de 2013 ganhei o 2º lugar desse concurso, que se traduziu num prémio de 15 mil euros. Como era insuficiente para cobrir os custos de arranque da Cooperativa, desenvolvi uma campanha de crowdfunding para angariar o montante em falta. Regressei a Portugal em setembro de 2013 e a Cooperativa arrancou em Novembro de 2013.

A Fruta Feia surge com o principal objetivo de evitar o desperdício de frutas e hortícolas devido à aparência (…).

Artigo completo publicado na edição de fevereiro 2021.