Agroalimentar Hortofruticultura

Pandemia e Brexit influenciaram mas há outras alterações no mercado

Um pouco mais tarde do que o habitual, a Porbatata – Associação da Batata de Portugal – realizou recentemente o Balanço de Campanha da Batata, numa parceria com o Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional – Centro de Competências (COTHN-CC).

〈 10/02/2021 〉

Em formato digital, o Balanço de Campanha da Batata propôs-se analisar o ano de 2020 sob o ponto de vista do segmento da batata de indústria, assim como do consumo, mas também o impacto da pandemia por COVID-19 e a saída do Reino Unido da União Europeia.

Recorde-se que também foi em 2020 que a Porbatata lançou a ‘Miss Tata’, uma marca coletiva para promoção da batata portuguesa no mundo e que obviamente se ressentiu da pandemia, mas vai ter continuidade, garantiu o presidente da Porbatata, Sérgio Ferreira.

Sobre o Brexit, João Nuno Barbosa da Direção Geral de Alimentação e Veterinária – DGAV – reforçou que desde o passado dia 1 de janeiro há um novo “país terceiro”, a Grã-Bretanha, enquanto que a Irlanda do Norte é equiparada a um novo “Estado-Membro” ao nível das regras fitossanitárias. A mudança vai acontecer em três fases, até 1 de julho quando os controlos passarem a ocorrer nos postos de controlos fronteiriços aprovados na Grã-Bretanha. Para importar da Grã-Bretanha todos os produtos são alvos das proibições ou requisitos específicos dos demais países terceiros.

Artigo completo publicado na edição de fevereiro 2021.