Agropecuária

A batalha do leite chocolatado

Há um partido que todos os anos, várias vezes por ano, apresenta a mesma proposta e justificações. Nada de novo, portanto também não tenho nada de novo a responder, excepto repetir o que publiquei no “mundo rural” de janeiro de 2019:

〈 13/03/2021 〉

“O leite achocolatado tem estado debaixo do fogo do deputado André Silva, do PAN, que vai fazendo uns números de teatro no parlamento com pacotes de leite e cartazes a denunciar o teor do açúcar e a exigir o respetivo aumento do IVA. Já por duas vezes tentou e por duas vezes falhou, mas, assim como certas equipas querem jogar até marcar, certos ativistas só param quando conseguem e depois partem para a causa fraturante seguinte. O açúcar é a desculpa mas, como não vemos o mesmo zelo em relação às bebidas vegetais com açúcar adicionado, sabemos que ele queria mesmo, e referiu na última intervenção, era proibir o “leite” achocolatado nas escolas, porque promove o “negócio do leite” e assim “matava dois coelhos com uma cajadada”. Aproveito para usar este provérbio enquanto se pode porque a batalha do leite achocolatado é só uma parte da guerra ao leite e a todos os produtos animais pois o objetivo do André Silva e de quem governa o PAN é acabar com tudo o que seja criação de animais para consumo, acabar com os provérbios referentes a animais e por aí adiante.

A propósito do leite escolar, os agrupamentos de escolas podem escolher se oferecem às crianças leite simples ou leite com chocolate. Sublinho que esse leite escolar achocolatado tem um teor de açúcar reduzido face ao leite achocolatado tradicional, como podem ler no comunicado abaixo. Compreendo que face ao excesso de açúcar que ingerimos diariamente se procure cortar em todos os pontos onde é adicionado, mas ao sermos “mais papistas que o papa” corremos o risco de “deitar fora a criança com a água do banho” (cá estão dois provérbios que não agridem os animais). Perguntei a uma professora do primeiro ciclo como estavam a correr as coisas agora que trocaram o leite de chocolate pelo simples, na sua escola. Disse-me que agora só 20% das crianças bebem o leite escolar, quando antes 20% eram os que não bebiam. E que bebem as crianças em vez do leite escolar? Água, refrigerantes ou sumos também com açúcar adicionado? Investiguem.

Diversos estudos tem apontado o Leite achocolatado como «excelente bebida para desportistas porque contém hidratos de carbono, proteínas, gorduras, flavonóides, electrólitos e outras vitaminas. É uma opção de baixo custo e deliciosa para a recuperação e fornece efeitos superiores ou similares aos das bebidas desportivas tradicionais», disse à Reuters um professor iraniano, em agosto de 2018. Há muita informação interessante sobre o leite na prática desportiva para quem quiser pesquisar.

Porque tem sido sucessivos os ataques ao leite e uma empresa que vende uma “cola light”, sem açúcar (mas com edulcorantes!) aproveitou para atacar o leite achocolatado, vai aqui de seguida um esclarecimento.
Carlos Neves

ESCLARECIMENTO- LEITE COM CHOCOLATE NO CONTEXTO ESCOLAR

Foi ontem publicado no Jornal Público uma notícia relativa à taxação do açúcar presente nos refrigerantes, a qual enuncia alegadas argumentações de uma empresa do sector acerca da constituição do leite com chocolate distribuído nas escolas nacionais.

Importa repor a verdade, sendo lamentável que uma empresa apresente argumentos falsos visando aliviar a pressão fiscal sobre os seus produtos, denotando desnorte e, acima de tudo, falta de ética indesculpáveis.

O leite achocolatado destinado às escolas é de composição diferente do leite achocolatado tradicional, tendo regras específicas, sendo que em Portugal o valor máximo é de 3,5g de açúcar adicionado/100ml.

Assim, a presença máxima de açúcar adicionado num litro de leite com chocolate é de 35 gramas, ao contrário das referidas alegações que, erradamente, apontavam “100 gramas de açúcar por litro”.

Mesmo no caso dos leites achocolatados tradicionais os teores de açúcar adicionado são muito inferiores aos citados 100g/litro.

De acordo com o Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física (IAN-AF) 2015-2016, podemos constatar que o grupo de alimentos “batidos de leite e leite com chocolate” contribui, apenas, com 1% para a ingestão total de açúcar da população Portuguesa.

Esclarece-se também que o leite apresenta na sua composição um açúcar naturalmente presente, denominada lactose, cujos guias internacionais, nomeadamente da Organização Mundial de Saúde, excluem da vigilância sobre os efeitos na saúde, por não apresentarem efeitos adversos, ao contrário dos açúcares adicionados.
Está cientificamente provado que o leite é um alimento saudável e o seu consumo diário é recomendado em todos os guias alimentares oficiais, incluindo da Organização mundial de Saúde (ONU) a Direção Geral de Saúde (Estado Português).

Comparações falaciosas e intelectualmente desonestas entre um alimento nutricionalmente rico, como é o leite, e miscelâneas de água com açúcar apenas denunciam desespero e incapacidade de lidar com a evidência dos factos.

ANIL – Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios
FENALAC – Federação Nacional das Cooperativas de Produtores de Leite

Autoria do artigo: Carlos Neves Agricultor.