Ambiente Sanidade vegetal

Valorfito: Sistema regista valor histórico, em ano de pandemia

Valorfito aumenta para 44% a taxa de retoma e recolhe perto de 500 toneladas de embalagens

〈 22/03/21 〉

O Valorfito, designação pelo qual é conhecido o Sistema Integrado de Gestão de Embalagens e Resíduos em Agricultura, acaba de anunciar os resultados finais de recolha de Embalagens Vazias Produtos Fitofarmacêuticos, Sementes e Biocidas no ano 2020, atingindo valores ímpares superando o mercado. Num ano especialmente difícil, o Valorfito registou um crescimento de 28% face às recolhas de 2019, com um total de cerca de 500 toneladas de embalagens recolhidas. Um valor histórico, que tem como consequência o crescimento da taxa de retoma global para quase 44%, 5 pontos percentuais acima de 2019.

Depois de em janeiro terem sido apresentados os resultados preliminares, agora, o Valorfito orgulha-se de apresentar o balanço final deste ano, com resultados que superam em larga escala as expetativas do mercado. O setor das sementes dá em 2020 sinais notáveis de estabilização nas quantidades declaradas, com uma taxa de retoma a duplicar a de 2019; o fluxo dos biocidas melhorou, com um crescimento modesto na taxa de retoma, que relembra a importância de reforçar a mensagem; já os produtos fitofarmacêuticos cresceram vigorosamente, com mais 17,2% de embalagens declaradas ao sistema. Um valor face ao qual o sistema valorfito respondeu à altura, com um acréscimo de 26,2% destas embalagens recolhidas, catapultando a taxa de retoma para perto dos 50%, valores absolutamente históricos.

Num ano em que falar de dificuldades e desafios é já um lugar-comum, António Lopes Dias, diretor-geral da Valorfito, reforça que «estes resultados vêm confirmar os dados preliminares revelados em janeiro, que demonstram a clara resiliência de todo o sector agrícola e a sensibilidade e preocupação dos pontos de retoma e dos agricultores, para as questões ambientais mesmo num ano em que a principal preocupação era garantir a ausência de quebras nas cadeias de abastecimento alimentar. Alcançámos resultados notáveis, que dão força ao objetivo ambicioso de chegar ao final de 2021 com uma taxa de retoma média na ordem dos 60%».

Porque em todos os setores há desafios que persistem, o segmento dos Biocidas, por ser um fluxo com uma componente urbana dominante, representa ainda uma preocupação, uma vez que «uma grande parte destes resíduos acabam por ir parar a outros operadores de gestão, e escapar à nossa contagem», refere o diretor-geral. «Há uma adaptação necessária e cada vez mais urgente dos operadores económicos e utilizadores finais ao sistema valorfito, sob a qual reforçaremos a nossa atuação, contribuindo para a melhoria dos resultados neste segmento», acrescenta.

Ainda assim «em 2020 o balanço é notável, com um reforço ímpar da nossa capacidade de recolha, chegando ao fim do ano com praticamente todos os pedidos de levantamento satisfeitos, num trabalho conjunto da gerência e equipa valorfito, mas, sobretudo, fruto do empenho de todos os intervenientes no sector, nomeadamente os agricultores e pontos de retoma», conclui António Lopes Dias, felicitando e agradecendo a todos os envolvidos.