Bio

Agricultura biológica tem crescido constantemente

Copa e cogeca saúdam a abordagem orientada para o mercado no novo plano de ação para a agricultura biológica da comissão europeia

〈 26/03/21 〉

O Copa e a Cogeca, organização de que a CONFAGRI faz parte, em comunicado divulgado hoje, referem que a agricultura biológica tem crescido constantemente na última década (62% em dez anos), de 8,5 milhões de hectares em 2010 para 13,8 milhões de hectares em 2019. Enquanto isso, os consumidores da UE têm-se interessado cada vez mais por este método de produção, tendo a pandemia de COVID-19 certamente reforçado essa tendência.

Ainda assim, as terras agrícolas da UE dedicadas à agricultura biológica situam-se nos 8,5%, longe da meta ambiciosa de 25% apresentada na Estratégia Farm to Fork. O Copa e a Cogeca têm pedido constantemente uma abordagem voltada para o mercado, pois será a melhor forma de garantir um crescimento saudável para o sector. Seria crucial garantir a rentabilidade no mercado da agricultura biológica, garantir os investimentos necessários e garantir uma fatia mais justa para os agricultores dos euros gastos pelo consumidor. É por isso que o Copa e a Cogeca saúdam a estratégia orientada para o mercado do Plano de Ação para a Agricultura Biológica da Comissão Europeia.

Para Lone Andersen, presidente do Grupo de Trabalho agricultura biológica da Copa-Cogeca, “a abordagem considerada pela Comissão da UE provará ser a mais sustentável. Embora a meta de 25% seja muito ambiciosa e deva ser atingida em menos de nove anos, o Copa e a Cogeca desejam colaborar de perto com a Comissão, o Conselho e o Parlamento Europeu, bem como com todas as partes interessadas no sector, para garantir que nos aproximamos o mais possível deste objetivo, evitando ao mesmo tempo as perturbações do mercado. A este respeito, saúdo a extensão das análises dos Observatórios de Mercado da UE aos produtos biológicos.”

Outro aspeto importante delineado no Plano de Ação é o fortalecimento dos fatores de produção para nutrição animal de acordo com as normas biológicas. Há vários anos que os agricultores biológicos sofrem com a escassez de vitaminas B orgânicas para ruminantes e nas rações para animais em geral.

A COVID-19 e as relações comerciais enfraquecidas demonstraram como é importante para os agricultores ter acesso a fatores de produção a um preço razoável. Por meio de pesquisa e inovação, investimentos e novos produtos disponíveis (ou seja, proteínas animais processadas como insetos e algas), o Copa e a Cogeca acreditam que um aprimoramento de um conjunto acessível e disponível de novos alimentos será colocado à disposição do agricultor.

Em relação aos fatores de produção, também é muito importante continuar e melhorar o vínculo especial entre os produtores biológicos e o meio ambiente. A terra cultivada biologicamente está livre de produtos químicos, com benefícios adicionais substanciais para o meio ambiente e a biodiversidade. No entanto, os agricultores biológicos necessitam de enfrentar as consequências das pragas e das alterações climáticas.

Sem instrumentos de defesa adequados, tornar-se-á impossível produzir produtos bons e saudáveis. Portanto, é essencial que os agricultores biológicos tenham acesso a um conjunto eficiente de produtos para proteger as culturas.

O Copa e a Cogeca irão apoiar o trabalho da Comissão no desenvolvimento de políticas e quadro regulamentar, bem como na investigação e inovação necessárias para garantir que os agricultores e cooperativas agrícolas da UE dispõem de um conjunto adequado de instrumentos a utilizar.


Artigo relacionado:

Comissão apresenta ações para estimular a produção biológica