Cereais

Preços elevados podem ser oportunidade acrescida para os produtores nacionais valorizarem a sua produção

O 11º Colóquio Nacional do Milho que foi também o 1º Encontro das Culturas Cerealíferas reuniu a 05 de março, via plataformas digitais, um número record de 1165 participantes.

〈 02/04/21 〉

A ANPROMIS – Associação Nacional dos Produtores de Milho e Sorgo – e a ANPOC – Associação Nacional de Produtores de Cereais – foram responsáveis pela organização do evento, num claro sinal de que a fileira dos cereais está unida e partilha dos mesmos objetivos e estratégias.

Em entrevista o secretário-geral da ANPROMIS, Tiago Silva Pinto, faz-nos um balanço do evento e traça-nos um cenário genérico de como está o setor dos cereais.

Que balanço pode ser feito do 11.º Colóquio Nacional do Milho?

O 11º Colóquio Nacional do Milho, que foi também o 1º Encontro das Culturas Cerealíferas, reuniu via plataformas digitais, um número recorde de 1.165 participantes, superior ao que seria possível com a presença física da assistência em sala. É a prova de que a cultura do milho mobiliza pessoas e dinamiza iniciativas como nenhuma outra em Portugal, independentemente do formato em que se realize este colóquio. O balanço é muito positivo, pela oportunidade que representou de reunir especialistas nacionais e internacionais num debate em torno dos principais temas que, direta e indiretamente, marcam a atualidade da cultura do milho e dos cereais em Portugal e a nível global (…).

Leia o artigo completo na edição impressa de abril 2021.

Clique aqui ↓ subscreva a nossa revista e adquira este e outros artigos: