Agropecuária Grande Entrevista

❝ Ovibeja. O que se poderá perder face ao formato presencial ganha-se na abrangência

Rui Garrido, presidente da ACOS, responsável pela organização da OVIBEJA

Em 2020 a pandemia obrigou ao cancelamento da Ovibeja, com um grande impacto junto das empresas de produtos e serviços que faziam dela o grande momento comercial do ano.

Sabendo de antemão que toda a gente está desejosa de retomar a normalidade possível dentro do que são as contingências da pandemia, a ACOS, responsável pela organização da Ovibeja, arregaçou mangas e decidiu construir uma Ovibeja com o mesmo espírito de sempre, os mesmos espaços, os mesmos expositores, mas digital, a partir de casa, da empresa de cada um, à distância de um clique. O presidente da direção da ACOS, Rui Garrido, acredita que “o que se poderá perder relativamente ao formato presencial ganha-se francamente em abrangência, uma vez que o digital pode ser acedido a qualquer hora, em qualquer parte do mundo”.

Depois de em 2020 se ter visto obrigada a cancelar a Ovibeja e este ano a adotar o formato digital, como é que a organização se preparou para esta mudança?

A Ovibeja sempre foi um evento inovador. Ao longo das suas 37 edições sempre ultrapassou obstáculos, apontou caminhos, desenvolveu novas soluções. 2020 foi um ano muito diferente. Fomos apanhados de surpresa com uma pandemia que nos obrigou a todos a proteger a nossa saúde e a proteger a saúde dos outros. A ACOS, a organizadora da Ovibeja, é uma Associação de Agricultores e como tal, os seus serviços não pararam. Mas reduziu a atividade ao estritamente necessário e, principalmente, reduziu os contactos presenciais. E foi procurando construir um caminho de trabalho seguro e eficaz assente nas facilidades de comunicação proporcionadas pelas novas tecnologias.

Sabemos de antemão que toda a gente está desejosa de retomar a normalidade possível dentro do que são as contingências da pandemia. Foi por esta razão que arregaçámos as mangas e decidimos construir uma Ovibeja com o mesmo espírito de sempre, os mesmos espaços, os mesmos expositores, mas digital, a partir de casa, da empresa de cada um, à distância de um clique. E, o que se poderá perder relativamente ao formato presencial ganha-se francamente em abrangência, uma vez que o digital pode ser acedido a qualquer hora, em qualquer parte do mundo. O acesso é livre, sem necessidade de registo ou de password. Basta as pessoas irem ao site da Ovibeja (…).

Leia a entrevista completa na edição impressa ou online de abril 2021.

Clique aqui ↓ subscreva a nossa revista e adquira este e outros artigos: