Política Agrícola

«Presidência portuguesa está empenhada em construir um acordo para a reforma da Política Agrícola Comum»

Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, na conferência de imprensa após a reunião Conselho de Ministros da Agricultura da União Europeia, Bruxelas, 28 maio 2021

A Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, afirmou que a presidência portuguesa do Conselho da União Europeia está empenhada em construir um acordo para a reforma da Política Agrícola Comum (PAC) até ao final de junho, mês em que termina o mandato de Portugal.

Após uma semana intensa de negociações, em que se procurou chegar a um entendimento entre as partes, para a reforma da Política Agrícola Comum, surgiram divergências em pontos relevantes, que levaram o Conselho a solicitar à Presidência que interrompesse as negociações.

«Já na próxima semana, a presidência portuguesa está disponível para reiniciar, com o mesmo sentido de compromisso, a procura de soluções para concluir a reforma da PAC», esclareceu a Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, que preside ao Conselho de Ministros da Agricultura da União Europeia.

A Ministra reforçou que «a presidência portuguesa está empenhada em contruir um acordo para a reforma da PAC durante a o mês de junho» e que é crucial que a nova PAC «seja moderna e que permita que a agricultura europeia faça uma transição para uma maior integração dos objetivos ambientais e climáticos, refletindo uma maior preocupação social, garantindo a competitividade dos agricultores e não deixando ninguém para trás». Além disso, frisou: «Queremos que a reforma da PAC reforce o sistema agroalimentar europeu, tornando-o mais sustentável e mais justo para todos».

Em conferência de imprensa, Maria do Céu Antunes recordou que as propostas legislativas, apresentadas pela Comissão Europeia, estão a ser discutidas há três anos e que, para que os Planos Estratégicos da PAC não fiquem comprometidos, é determinante que o acordo seja fechado no próximo mês.