Ambiente Investigação

Laboratório Associado CHANGE reuniu investigadores e decisores políticos no Dia Mundial do Ambiente

No passado dia 5 de junho, dia em que se comemorou o Dia Mundial do Ambiente, realizou-se na Herdade da Ribeira Abaixo, na Serra de Grândola, a mesa-redonda “Um ambiente, vários desafios, muitas mudanças”, organizada pelo Laboratório Associado CHANGE – Instituto para as Alterações Globais e Sustentabilidade com o objetivo de promover o debate sobre políticas públicas para o ambiente.

〈 07/06/21 〉

A iniciativa juntou, entre oradores e assistência, o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, o Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes e a Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, bem como representantes das várias instituições académicas que constituem o Laboratório Associado, como a Reitora da Universidade de Évora, Ana Costa Freitas, o Reitor da Universidade Nova de Lisboa, João Sàágua, o Diretor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa em representação do Reitor da Universidade de Lisboa, Luís Carriço, e o Reitor da Universidade do Algarve, Paulo Águas. À discussão na mesa-redonda juntaram-se ainda a Vice-presidente da CCDR Alentejo, Carmen Carvalheira, o Presidente da Câmara Municipal de Grândola, António Mendes, a Presidente da Direção do SMART FARM COLAB, Laura Rodrigues, e os Investigadores Teresa Pinto Correia (MED), Cristina Máguas (cE3c) e Rui Santos, da Direção do Laboratório Associado CHANGE. De destacar ainda o elevado interesse do tema através da presença de stakeholders locais e regionais, do tecido empresarial e de investigadores entre os quais representantes dos pólos do MED (Universidade do Algarve e CEBAL).

Esta foi a primeira grande oportunidade para discutir com as autoridades e agentes nacionais, regionais e locais, as expectativas e as perspetivas para o CHANGE, que brevemente terá a sua formalização. Apenas da dialética entre os diferentes pontos de vista, será possível conferir robustez à sua atividade, e garantir um contributo efetivo no aperfeiçoamento das políticas públicas. Nesta primeira conversa, foi possível identificar os desafios futuros que o CHANGE terá de enfrentar para a sua implementação, e esboçar as primeiras estratégias de superação.

A organização esteve a cargo do CHANGE que integra três unidades de investigação nacionais de excelência nesta área: o Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento – MED, Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais – cE3c e o Centro de Investigação em Ambiente e Sustentabilidade – CENSE.