Investigação Pequenos Frutos

UBI investiga formas de melhorar a produção de mirtilo

O trabalho está a ser desenvolvido por investigadores do CICS-UBI, em parceria com uma empresa do concelho da Covilhã.

〈 11/06/21 〉

A Universidade da Beira Interior (UBI) está a desenvolver um estudo que pretende melhorar a produção de mirtilo, através da aplicação de bactérias como biofertilizantes. A investigação está a ser desenvolvida no âmbito do projeto BIOLACVAC, a decorrer no Centro de Investigação em Ciências da Saúde da UBI, em parceria com a empresa produtora de mirtilo Beiraberry.

O estudo encontra-se já no terreno, com os investigadores do CICS-UBI, Gilberto Alves e José David, a avaliarem o aperfeiçoamento dos recursos do solo, nomeadamente a utilização de bactérias que habitam à volta da planta, para perceberem a influência das bactérias no aumento da concentração de compostos antioxidantes deste pequeno fruto de alto valor.

O trabalho de campo decorre na Beiraberry, uma empresa localizada na Vila do Ferro, no concelho da Covilhã, que desde 2012 se dedica ao cultivo de mirtilos de forma sustentável, produzindo anualmente mais de 20 toneladas deste fruto.

“O projeto BIOLACVAC procura não só saber como se desenvolve a interação planta-bactéria, mas também criar novas oportunidades em territórios do interior de Portugal, onde o estabelecimento de uma agricultura moderna e sustentável é uma possibilidade real de criação de empregos, como a Beiraberry tem demonstrado durante a última década”, referem os investigadores.


Artigos relacionados:

A Beiraberry e a Universidade da Beira Interior colaboram em projeto de investigação

“Devem ser incutidos hábitos de consumo de mirtilo aos portugueses”

” A perspetiva é que continue a haver mercado para o mirtilo nos próximos anos “