Grande Entrevista

Desafio ambiental continuará a ser a prioridade máxima dos suinicultores

David Neves assumiu recentemente o cargo de presidente da Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores – FPAS – para um mandato de dois anos.

Em entrevista à Voz do Campo esclarece que será um mandato de continuidade, focado em temas como a sustentabilidade ambiental da atividade, a defesa da reputação do setor e o aumento da autossuficiência, entre outros.

Em que pilares assenta o mandato que iniciou recentemente?

Este mandato surge no biénio anterior à entrada em vigor da nova PAC, que traz consigo novos e grandes desafios à produção suinícola assumidos na agenda Farm to Fork, a par de outras áreas estratégicas como a promoção da suinicultura e exportação.

É essencial que este novo ciclo de dois anos de mandato dirija o foco para temas tão urgentes como a sustentabilidade ambiental da atividade, a defesa da reputação do setor da suinicultura, o aumento da autossuficiência, a promoção do bem-estar animal e os entendimentos da fileira em matérias como a comunicação e a internacionalização, com o reforço das exportações e abertura a novos mercados.

Será também um ciclo de continuidade dos importantes projetos que foram iniciados no mandato anterior, como a operacionalização do Centro Tecnológico para a Suinicultura, o desenvolvimento do Roteiro Ambiental, cujo protocolo foi assinado no passado dia 18 de maio, e a implementação da Certificação em Bem-Estar Animal, projeto desenvolvido no âmbito da FILPORC – Organização Interprofissional da Fileira da Carne de Porco.

Sem dúvida que o desafio ambiental continuará a ser a prioridade máxima da FPAS, que deve ser cada vez mais proativa no encontro de soluções para a fileira que respondam com sustentabilidade a este desafio, para que todos possamos garantir o futuro das novas gerações, através de uma produção cada vez mais eficiente, que produza mais com menos, para ser capaz de alimentar o crescimento da população mundial sem esgotar o planeta.

Como pode ser caracterizada a suinicultura portuguesa?

A suinicultura é um setor com forte implantação em todo o território nacional, com predominância nas regiões litorais. Cerca de 80% do efetivo está concentrado nas regiões do Centro, Ribatejo, Oeste e Península de Setúbal, coexistindo vários sistemas de produção, desde os modelos genericamente designados por intensivos que promovem a utilização eficiente dos recursos disponíveis, aos sistemas extensivos que promovem a conservação e manutenção de ecossistemas naturais em regiões de baixa densidade.

Quando falamos de suinicultura não podemos esquecer-nos de que é um setor estratégico para a economia nacional. Em 2019, num cenário pré-pandémico, representava 7,8% do total da produção agrícola portuguesa, de acordo com as Contas Económicas da Agricultura 2019, do INE.

Em 2020, ainda de acordo com o mesmo Instituto, o valor da produção suinícola representou 8% de toda a produção agrícola nacional (…).

Leia a entrevista completa na edição de julho 2021.

↓ Subscreva a nossa revista mensal e tenha acesso a este e outros artigos exclusivos: