Agrociência Olival & Azeite

Poda racional no olival moderno em copa

Figura 1 – Poda de uma oliveira com uma podadora de alturas

Introdução

O projeto OLEAVALOR – “Valorização das variedades de oliveira portuguesas”, executado na região Alentejo, entre julho de 2016 e junho de 2020, veio mostrar que é possível melhorar a execução de algumas das principais operações culturais, com redução de custos de execução e aumento de produção. Entre as operações passíveis de serem melhoradas destaca-se a poda, que na maioria das situações é mal realizada. Se for bem executada, na intensidade e periodicidade adequadas, permite reduzir a alternância característica da oliveira e aumentar a produtividade do olival. A divulgação da melhoria da forma de realização da poda tem sido feita através do projeto GESCERTOLIVE – “Apoio à gestão de olivais e à certificação de material vegetativo de variedades de oliveira nacionais” (Operação ALT20-03- 0246-FEDER-000058), sendo este artigo mais um contributo.

Objetivos da poda da oliveira em produção

A remoção de parte da copa da oliveira, controlando periodicamente o tamanho da parte aérea da árvore para a manter dentro de um determinado volume e altura, tem como objetivo principal manter uma regularidade produtiva, que assegure a rentabilidade inter-anual do olival (…).

Artigo completo na Revista Voz do Campo, edição de janeiro 2022.

Autoria e Refererências

Francisco Mondragão-Rodrigues1,2, António Brito1 & Elsa Lopes3
1Instituto Politécnico de Portalegre, Portugal,
2MED – Mediterranean Institute for Agriculture, Environment and
Development, Universidade de Évora, Portugal,
3Departamento de Fisiologia, Universidad de Extremadura, Badajoz
(Espanha).

Referências: GARCIA-ORTIZ, A.; FERNANDEZ, A.; PASTOR, M. & HUMANES, J. (1998). A poda. Cap. 12. El cultivo del olivo (2ª edicion). Ed. Cientificos D. Barranco; R. Fernandez-Escobar; L. Rallo. Ediciones Mundi-Prensa y Junta de Andalucia. MONDRAGÃO-RODRIGUES, F. & LOPES, E. (2020). Eficiência produtiva e volume de copa ótimo em olivais intensivos de variedades portuguesas. A VOZ DO CAMPO, 241, 36-37. PASTOR, M.; HUMANES, J.; VEJA, V. & CASTRO J. (1998). Diseño y manejo de plantaciones de olivar. Monografia 22/98. Junta de Andalucia.

Agradecimento: O projeto GESCERTOLIVE – Apoio à gestão de olivais e à certificação de material vegetativo de variedades de oliveira nacionais (Operação ALT20-03-0246-FEDER-000058) é financiado pelo FEDER e por Fundos Nacionais, através do Programa Operacional Regional ALENTEJO 2020.

Desenvolvimento completo deste e outros artigos exclusivos
  • Na Revista Voz do Campo:

Edição de janeiro ‘2022