Na primeira pessoa

❝ Para perceber a dinâmica da cultura em Portugal é preciso olharmos para o mundo ❞

Gonçalo Almeida Simões, consultor executivo da Portugal Nuts

〈 17 / 02 / 2022 〉

“Quer com isto dizer que as culturas de frutos secos que a nível mundial mais têm aumentado a sua produção nos últimos 10 anos são a noz (+62%) e a amêndoa (+36%), seguidas da avelã, do caju e pistácio. Como potenciais futuros principais produtores destaca-se o crescimento da produção e área de Espanha (amêndoa e castanha), do Chile (amêndoa, avelã e noz), da Costa de Marfim (caju) e de Portugal (amêndoa e castanha).

Em Portugal o sector está numa trajetória de marcada expansão, quer em área quer em produção, especialmente na região do Alentejo e Beira Baixa com base em projetos de regadio, mas também na região de Trás-os-Montes onde se tem verificado a reconversão de pomares já existentes em novos pomares.

O facto de muitos dos novos pomares ainda não estarem em plena produção, faz prever um aumento muito significativo de produção nos próximos anos.

Em 2019 existiam 339 empresas dedicadas à produção de frutos secos, o que contrasta com as 5 empresas existentes em 2007, já as empresas de transformação cresceram 121%”.

Desenvolvimento completo na → edição de janeiro 2022 da Revista Voz do Campo.

Artigo completo e outros artigos exclusivos
  • Na Revista Voz do Campo:
  • Reportagem especial sobre a Amêndoa

Edição de janeiro ‘2022