Reportagem

❝ Sendo um país pobre não pode dar-se ao luxo de desperdiçar qualquer recurso

À margem do Congresso Nacional do Milho, Joaquim Pedro Torres, administrador da Valinveste deixa o seu ponto de vista à nossa Reportagem sobre a atual conjuntura que se vive na Europa e no mundo e que está a afetar seriamente o setor dos cereais e tudo o que está a montante e jusante.

  23 / 03 / 2022  〉

No seu entender, o nosso país tem muitas potencialidades para explorar e “sendo um país pobre não pode dar-se ao luxo de desperdiçar qualquer recurso”. Reconhece que em alguns setores Portugal está ao nível do melhor que se faz no mundo como é o caso da olivicultura e da vitivinicultura, mas também o pode ser nos cereais. “Portugal que tem um grande deficit na balança alimentar, mas tem capacidade para o reduzir porque tem recursos, desde logo a água, que temos em níveis excedentários em relação ao que usamos. Assim, podemos aumentar a nossa área de regadio, que é denominador comum na agricultura competitiva em Portugal”.

No momento atual a realidade é bem diferente da que se vivia até aqui e obviamente haverá uma adaptação e ajuste, “inclusive dos preços dos produtos agrícolas”. Do ponto de vista dos produtores, “um aumento da eficiência produtiva para que não seja tão drástico”.

A Revista Voz do Campo está a acompanhar os trabalhos. Todo o desenvolvimento brevemente na próxima edição.

• Subscreva a nossa revista em: https://vozdocampo.pt/assinatura-compra

Subscreva a nossa revista e mantenha-se permanentemente atualizado: