Cereais Reportagem

Cerpro tem potenciado a capacidade dos sócios produtores e atraído outros

A Cerpro é uma jovem organização de produtores de cereais, criada há 4 anos, mas que agrega o vasto conhecimento tanto de sócios e produtores bem como de outras entidades que estiveram na base da sua constituição.

Recuando no tempo, e de acordo com a informação que nos é avançada por Rodrigo de Sousa Vinagre, um dos administradores da Organização, a sua constituição aconteceu no seguimento de um objetivo traçado em 2014-2015 pela administração da Torriba – Organização de Produtores Hortoindustriais que foi analisar todas as alternativas de culturas anuais que estivessem dentro do património dos seus associados, onde o milho, cevada e o girassol se colocaram como umas das hipóteses.

Ao mesmo tempo, um dos parceiros da Torriba com quem na altura trabalhava a cultura do amendoim desafiou-a a procurar entre os seus sócios se teriam milho para consumo humano com as características que o seu cliente exigia. Verificou-se que sim e nesse momento a Torriba começou a desenvolver alguma comercialização de milho, dando resposta ao tal objetivo que havia sido traçado.

Em 2016, o presidente do conselho geral da Torriba lançou à administração o desafio de tomar as rédeas dos destinos de uma organização de produtores de cereais com quem tinham vários produtores comuns, a Searalto. Esta ideia originou um forte debate interno para que fosse feita uma análise SWAT (vantagens e desvantagens), mas a decisão foi avançar.

A Cerpro tem vindo a caracterizar-se por um modelo muito leve, sendo composta por um técnico, um administrativo e a administração, que “bebe” da fusão e da sinergia que tem com a Torriba.

Ao administrar também esta OP, potenciaram-se os negócios de ambas, alguns produtores da Searalto passaram a produzir hortofrutícolas e os da Torriba cereais. A dinâmica gerada levou uma terceira organização a interessar-se pelo modelo desenvolvido, acabando por integrá-lo, a Cerealplus. É da fusão entre a Searalto e a Cerealplus, às quais se juntaram alguns produtores de cereais da Torriba que principiou a Cerpro (…).

→ Saiba mais na edição de março de 2022 da Revista Voz do Campo.

Aceda a esta reportagem completa e outros artigos exclusivos:

 

Subscreva a nossa revista e mantenha-se permanentemente atualizado: