Editorial

Reconhecer e motivar o mundo rural

Paulo Gomes, Diretor

〈 06 / 04 / 2022 〉

É de certo unânime entre os produtores a opinião sobre a necessidade de empreender e investir cada vez mais numa base tecnológica com vista ao aumento de produção com consequentes custos mais reduzidos.

Não obstante as novas tecnologias hoje em dia serem indispensáveis para que possamos fazer frente a um mercado concorrencial em crescendo, não podemos deixar de acompanhar de perto toda a produção. Temos de produzir com planeamento e acompanhamento desde o início, com o registo de todas as informações possíveis até ao ínfimo detalhe em termos de medição de desempenho e monitorização da nossa performance.

Mas também é certo que ter conhecimento das melhores técnicas e empregá-las na cultura que escolhemos para a nossa exploração, por si só não é suficiente, a boa gestão do negócio é naturalmente fundamental para que tenhamos sucesso.

Por outro lado, as parcerias estratégicas com empresas, entidades e organizações só podem ser benéficas para o produtor se culminarem em ganhos no final da linha, ou seja, na melhor comercialização dos seus produtos.

Deixem, entretanto, que ainda lembre mais uma dimensão, entre muitas outras que temos de ter em linha de conta, refiro-me à aposta na comunicação e no marketing. O ter um bom produto, muitas vezes apelidado como o melhor, de nada valerá se não houver uma boa divulgação e apresentação junto dos mercados que queremos conquistar. Felizmente a realidade tem vindo a demonstrar ser uma ferramenta imprescindível para qualquer ramo de negócio.

Nas páginas centrais desta edição apresentamos um trabalho de reportagem com o foco no reconhecimento de alguns produtores de sucesso que fazem a diferença com os seus projetos e abordagens. A prova disso está na atribuição de vários prémios em diferentes competições, promovendo ideias novas, empreendedorismo e estratégias bem consolidadas.

Falamos concretamente do Prémio Empreendedorismo e Inovação CA, Prémio Nacional de Agricultura e Programa TalentA. Os destaques vão para o ‘Medronho Bottle’, uma bebida de baixo teor alcoólico, a partir de medronho com sumos; Produção de cogumelo shiitake biológico; Produção de bovinos da raça autóctone portuguesa ‘Jarmelista’; A cerealicultura de milho-grão branco e arroz Carolino; Produção e comercialização de materiais de propagação vegetativa de variedades de batata-doce; Produção e comercialização de bovinos de raça pura ‘Angus’, Produção, engarrafamento e comercialização de vinhos e ainda a Smart Trap (AgIoTrap), projeto impulsionado pela necessidade de controlar a dispersão da doença da Flavescência Dourada nas vinhas.

São de facto exemplos reconhecidos pela sociedade e que certamente em muito contribuirão para a necessária valorização e reconhecimento do mundo rural.

• Editorial – Revista Voz do Campo, edição de Abril 2022 •

Boas leituras!

↓ Clique aqui e subscreva a nossa revista  ↓