Agrociência

Uma nova cultura sustentável e resiliente: produção de trufas do deserto

As trufas do deserto, ou túberas, são a frutificação hipógea (cogumelos subterrâneos) de fungos micorrízicos (simbiontes mutualistas com espécies vegetais).

Ocorrem espontaneamente na Bacia do Mediterrâneo e constituem há muito um alimento apreciado pelas populações desta região. Duas das mais valorizadas espécies de fungos produtores de túberas são Terfezia arenaria e Terfezia fanfani, cujas frutificações permanecem debaixo da terra até ao início da maturação dos esporos. As suas túberas surgem apenas na Primavera, possuem uma forma arredondada e em média 4 a 8 cm de diâmetro, podendo atingir 10 cm. São mais comuns no Alentejo, em solo arenosos e ácidos, ocorrendo também na Beira Litoral e na Beira Baixa.

Atualmente, o prestígio das túberas tem vindo a aumentar, quer pelas suas propriedades nutracêuticas (alimentares e farmacêuticas), quer por ser um alimento naturalmente rico em proteínas (adequado a uma dieta vegetariana ou vegan), quer pelo impacto positivo no meio ambiente (estimulando o crescimento da vegetação e a proteção dos solos).

Contudo, dada a sua forma de vida, o fungo que produz túberas não pode viver sem as plantas hospedeiras a que se associa, ou seja, não é passível de ser produzido industrialmente como o Champignon de Paris (cogumelo branco) ou o shiitake.

Leia o artigo completo na edição de Abril de 2022.

Autoria: Celeste Santos e Silva
Professora Auxiliar do Departamento de Biologia, ECT-UEvora
Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento da Universidade de Évora

Este e outros artigos exclusivos:
  • Na Revista Voz do Campo

Edição de Abril 2022 ↓

 

Subscreva a nossa revista e mantenha-se permanentemente atualizado: