Agropecuária

Benefícios da pecuária extensiva e dos fertilizantes orgânicos no contexto do Pacto Ecológico Europeu

〈  19 / 04 / 2022  〉

1.          Conclusões e recomendações

1.1       A pecuária extensiva e as alterações climáticas devem ser entendidas como um binómio: enquanto a primeira faz parte da solução para os problemas causados pelas alterações climáticas, as segundas afetam e ameaçam a viabilidade de um modelo de produção caracterizado precisamente pela sua sustentabilidade e pela sua capacidade de adaptação às alterações climáticas e de atenuação do seu impacto.

1.2       A pecuária extensiva baseada em prados e pastagens permanentes contribui de forma positiva para a preservação das paisagens e dos chamados «serviços ambientais», como a proteção da biodiversidade e dos habitats, o sequestro de carbono e a prevenção dos incêndios florestais, que limita o impacto das inundações e previne a erosão dos solos. Além disso, assegura a manutenção da população nas zonas rurais, contribuindo para a renovação geracional e a viabilidade das explorações familiares.

1.3       Por outro lado, contribui para moldar a identidade da sociedade europeia, preservando as práticas de gestão ancestrais e promovendo a cultura e o turismo rural. A produção de artesanato e de alimentos tradicionais, a etnobotânica ou a utilização de cães pastoris na gestão do gado constituem bons exemplos a este respeito.

1.4       O papel da pecuária extensiva e dos fertilizantes orgânicos no fornecimento de alimentos sustentáveis, saudáveis, seguros e de elevada qualidade é fundamental, em particular com uma população mundial em crescimento. Além disso, este tipo de pecuária é capaz de produzir alimentos graças à utilização de recursos naturais locais: zonas de montanha, pastagens, terras marginais, zonas difíceis de cultivar, etc. Este tipo de atividade complementa os outros tipos de exploração agrícola.

1.5       A utilização de fertilizantes orgânicos desempenha um papel fundamental na manutenção da fertilidade dos solos. Em particular, a adição de matéria orgânica contribui para a renovação e substituição de uma fração substancial dos nutrientes do solo, melhorando a capacidade de retenção de água e, por conseguinte, a estabilidade estrutural do solo.

1.6       As decisões políticas devem prever um tratamento diferenciado e favorável do modelo de pecuária extensiva e dos fertilizantes orgânicos. Tal deve traduzir-se na aplicação de diferentes apoios e instrumentos dotados dos recursos orçamentais adequados, no âmbito dos planos estratégicos nacionais da política agrícola comum (PAC). Importa igualmente prever uma maior flexibilidade no que diz respeito aos critérios utilizados para definir e identificar as superfícies de pastagem elegíveis para apoio, tendo em conta a grande diversidade de pastagens e florestas existentes na Europa. Ao mesmo tempo, há que prestar especial atenção ao enorme potencial das unidades de produção de biogás através da digestão do chorume e do estrume para reduzir as emissões de metano, reforçando assim a circularidade e promovendo o desenvolvimento da bioeconomia rural e local.

1.7       Por conseguinte, é fundamental, a todos os níveis, salvaguardar os sistemas de exploração extensivos, assegurando preços justos aos produtores e contando com um forte apoio institucional e da sociedade civil. Nesse sentido, é de recomendar que se dê atenção à importância dos sistemas de rotulagem dos alimentos no momento de promover e apoiar o consumo de produtos alimentares mais sustentáveis.

1.8       Tal exige necessariamente um maior esforço em matéria de comunicação e de projeção de uma imagem mais positiva, que valorize a pecuária extensiva e os fertilizantes orgânicos e mostre verdadeiramente à sociedade, aos consumidores e à opinião pública no seu conjunto os benefícios dos mesmos, não só em termos ambientais como também nas suas dimensões social e económica.

Consulte o relatório completo.

→ Aceda aqui ao RELATÓRIO

 

Subscreva a nossa revista e mantenha-se permanentemente atualizado: