Agroalimentar Hortofruticultura Investigação Leguminosas

Potenciar a região do Mediterrâneo com novos produtos de base vegetal é objetivo do projeto LOCALNUTLEG

O MORE – Laboratório Colaborativo Montanhas de Investigação, encontra-se a desenvolver o projeto “LOCALNUTLEG – Desenvolvimento de produtos alimentares de base vegetal e de valor acrescentado através da promoção de variedades locais mediterrânicas de leguminosas e frutos secos”.

〈  04 / 05 / 2022  〉

O projeto pretende desenvolver produtos alimentares ligados à cultura gastronómica mediterrânica que possam providenciar o máximo de nutrientes e compostos bioativos e simultaneamente promover a dieta mediterrânica, reconhecida mundialmente como uma das mais benéficas para a saúde. Nesse sentido, o principal objetivo do projeto é capacitar os setores dos frutos secos e leguminosas do Mediterrâneo com uma marca registada (Denominação de Origem Protegida (DOP), Indicação Geográfica Protegida (IGP)) ou identidade autóctone.

Essa capacitação, de acordo com a informação avançada à nossa redação pelo MORE, será alcançada através do desenvolvimento de novos produtos alimentares de base vegetal a partir de leguminosas e frutos secos (ex. análogos de produtos lácteos, produtos de panificação e massas com farinhas alternativas) com valor acrescentado e com benefícios comprovados para a saúde. Aplicação de novas tecnologias de processamento mais sustentáveis em comparação com os métodos convencionais. Reformulação de produtos tradicionais que possam ir ao encontro das necessidades e expetativas de um maior número de consumidores, bem como a utilização de ferramentas de comunicação e marketing para suscitar o aumento do interesse dos consumidores por novos produtos alimentares à base de frutos secos e leguminosas. Passa também pelo desenvolvimento de modelos de negócio que facilitem a comercialização e exploração dos novos produtos desenvolvidos, o que estimulará a economia na região mediterrânea.

Em suma, os resultados do LOCALNUTLEG irão contribuir para a valorização dos setores dos frutos secos e das leguminosas, tanto a nível da produção, através da valorização de culturas tradicionais mediterrâneas, como da transformação com o desenvolvimento de novas oportunidades de negócios para pequenas e médias empresas.

O projeto está vocacionado para variedades locais, DOP e IGP de frutos secos (amêndoas, castanha, avelã) e leguminosas (tremoços, ervilhas, alfarroba, grão-de-bico, fava, lentilhas e feijão) da região mediterrânea. Por exemplo: Almendra de Mallorca IGP, Castanha da Terra Fria DOP, Avellana de Reus DOP, Mongeta del Ganxet DOP, Garbanzo de Escacena IGP, Lenteja de Armuña IGP. Em Portugal está vocacionado para a Castanha da Terra Fria DOP.

O projeto LOCALNUTLEG reúne um consórcio internacional composto por oito entidades – Espanha, Portugal, Itália, Alemanha, França, Israel, Turquia e Marrocos, envolvendo organizações, institutos, universidades, associações e empresas. Este projeto teve início em maio de 2021 e terá uma duração total de 42 meses.

A decorrer quase há um ano, o parceiro IPB está a finalizar um inventário com as características nutricionais e biotivas de mais de 50 variedades de frutos secos e leguminosas. Esta informação e outros dados das variedades vão ser disponibilizados num booklet, com uma elevada componente gráfica, que está a ser desenvolvido pelo MORE. Tanto o booklet, como o inventário, em breve estarão disponíveis no website do projeto (https://localnutleg.eu). Para além disso, estão em fase de desenvolvimento os primeiros protótipos dos produtos alimentares inovadores, que serão divulgados em algumas feiras internacionais do setor alimentar, nomeadamente pão e biscoitos sem glúten à base de farinhas alternativas, massa alimentícia secas com farinhas alternativas, cremes para barrar, bebidas probióticas de origem vegetal e refeições tradicionais inovadoras.

O projeto é financiado pelo PRIMA (Parceria para a Investigação e Inovação na Região Mediterrânica), impulsionado pelo programa europeu H2020.