Agrociência Floresta

Eucalipto (Eucalyptus globulus L.) Remédio Natural

Figura 1. O Eucalyptus globulus L.

Por todo o país encontramos áreas densificadas com eucaliptos, no total, cerca de 844 000 ha do território continental (IFN 6, 2019).

O Alentejo, concretamente o distrito de Portalegre, foco de interesse do nosso estudo sobre plantas medicinais, não é exceção. A herança decorrente do passado, quando a partir da década de 80 se promoveram as culturas intensivas, através de incentivos comunitários, trouxeram para a atualidade questões ambientais e de segurança pública controversas, que movem debates sobre o rácio entre o valor económico da espécie e o impacto relacionado com a sustentabilidade dos ecossistemas.

O eucalipto apresenta um desenvolvimento rápido no seu ciclo de vida, o que é representativo como fonte de matéria-prima para indústrias como as da madeira e do papel. A extração de óleos essenciais das folhas é igualmente viável para as indústrias alimentar, farmacológica e de perfumaria, no fabrico de uma gama alargada de produtos.

No contexto terapêutico, as folhas são a parte desta planta com maior relevância, pelos seus atributos medicinais e natureza aromática. Na nomenclatura científica esta variedade é conhecida por Eucalyptus globulus L. (figura 1) e pelos nomes populares de eucalipto, eucalipto comum. Pertence à família botânica das Mirtáceas. É uma árvore perenifólia, com uma altura entre os 65 e os 70 metros, uma copa inicialmente cónica, evoluindo com a maturidade para uma forma larga e irregular. O tronco é direito e grosso, por vezes com uma torção espiral e apresenta uma casca que se desprende em tiras longitudinais (…).

→ Artigo completo na nossa edição de maio 2022.

Bibliografia →

· Proença da Cunha, A., Pereira da Silva, A., Rodrigues Roque, O., Plantas e
Produtos Vegetais em Fitoterapia, Ed. Fundação Calouste Gulbenkian, p. 314-315,
2003.
· Ribeiro Nunes, J., Medicina Popular, Tratamento pelas Plantas Medicinais, Ed.
Litexa Editora, p. 197-199, 1999.
· Ribeiro, E., Plantas Medicinais e Complementos Bioterápicos, Ed. Vida Editores,
pág. 147-149, 1995
· Salgueiro, J., Ervas, Usos e Sabores, Plantas Medicinais no Alentejo e Outros
Produtos Naturais, 3ª edição, Ed. Colibri. Marca – ADL, p. 106-107, 2005.
· Áreas das espécies florestais, em percentagem, Instituto da Conservação da
Natureza e das Florestas, 2015
· Inventário Florestal Nacional 6, 2019
· Valente, C., Projeto Melhor Eucalipto – respeito ambiental, ganho natural, Controlo
de Pragas e Doenças, CELPA, 2017

Autoria: Lorena, Ana 1 & Cordeiro, Ana Isabel2
1 Naturopata. Direção Clínica Espaço ANEROL.
2 Departamento de Ciências Agrárias e Veterinárias. 
Instituto Politécnico de Portalegre.
ana_cordeiro@ipportalegre.pt

Artigo completo e outros exclusivos
  • Na Revista Voz do Campo:

Edição de maio ‘2022