Certificação

Novas tendências, novas certificações

Em tempos cada vez mais incertos, tem-se verificado alterações significativas das tendências de mercado.

Na década passada os consumidores procuraram obter mais informação sobre os produtos que consumiam e como tal, o setor agroalimentar teve que se adaptar, assistimos à introdução de novos conteúdos nos rótulos dos produtos, tais como tabelas nutricionais, detalhe dos ingredientes, alergénios, etc. Estas alterações permitiram aos consumidores estarem mais informados sobre o que consumiam. Talvez possamos chamar à década passada, a década da informação.

Nos dias de hoje, verifica-se que os consumidores procuram ainda mais. E o que se tem percebido é que, atualmente, os consumidores procuram relacionar-se com o produto. Procuram que os produtos se identifiquem com os próprios consumidores, que o produto tenha os valores que cada consumidor aprecia e tem-se percebido ainda que o consumidor sente necessidade de possuir controlo sobre as decisões que toma no momento da compra, para contrapor a instabilidade que se tem vivido nos últimos anos.

Apesar de todo o trabalho desenvolvido na última década relacionado com a informação dos produtos alimentares, nunca se encontrou tanta desinformação como hoje. As redes sociais levam a que todos os dias nos cheguem conteúdos sem validação médica ou científica por parte de “influenciadores” muitas vezes sem qualificação ou competências para o fazerem. Atentos a este problema, os consumidores valorizam cada vez mais a clareza, a transparência, a flexibilidade e a possibilidade de alternativas de escolha que respondam às suas necessidades e circunstâncias individuais.

As marcas de produtos alimentares começam a perceber que devem ajudar os consumidores a tomarem decisões com confiança, que protejam a sua saúde e a saúde do planeta.

É neste sentido que a certificação de produtos alimentares está também a evoluir. Temas como sustentabilidade, bem-estar animal, redução do impacto ambiental, etc., são cada vez mais valorizados pelos consumidores, porque permite a estes, experienciar um sentimento de identificação dos seus valores próprios com os valores dos produtos, no momento da compra. O que os consumidores procuram quando adquirem um produto, é alcançar um momento de bem-estar e felicidade através de um ato consciente, porque sabem que ao comprarem determinado produto estão a contribuir para um bem comum e para um bem maior.

Algumas novas certificações têm surgido para dar resposta a esta procura por parte dos consumidores.

O que se tem percebido é que, atualmente, os consumidores procuram relacionar-se com o produto. Procuram que os produtos se identifiquem com os próprios consumidores, que o produto tenha os valores que cada consumidor aprecia e tem-se percebido ainda que o consumidor sente necessidade de possuir controlo sobre as decisões que toma no momento da compra, para contrapor a instabilidade que se tem vivido nos últimos anos.

O LEAF Marque é um sistema de garantia líder mundial que reconhece produtos cultivados de forma mais sustentável. Representa mais sustentabilidade ambiental e é obtida por empresas agrícolas que cumprem com rigorosos padrões de práticas agrícolas sustentáveis.

O LEAF MARQUE é baseado em princípios da Gestão Integrada das Explorações. Trata-se de uma abordagem empresarial agrícola global, que proporciona uma agricultura mais sustentável e tem como objetivo o desenvolvimento da agricultura através da melhoria do meio ambiente e do envolvimento das comunidades locais.

Uma exploração agrícola certificada através do LEAF garante a implementação de um sistema de melhoria contínua no que diz respeito a: Organização e Planeamento, Gestão do Solo e Fertilidade, Saúde e Proteção das Culturas, Controlo da Poluição e Gestão de Resíduos, Criação de Animais, Eficiência Energética, Gestão da Água, Conservação da Paisagem e Natureza e Envolvimento da Comunidade.

A certificação Resíduo Zero possibilita aos operadores certificados demonstrar aos seus clientes que é possível produzir alimentos sem resíduos de pesticidas.

A ZERYA® desenvolveu um referencial para produtos sem resíduos que tem como objetivos: Aumentar a confiança na origem; Produzir alimentos seguros; Garantir um alto nível de qualidade dos produtos; Respeitar o meio ambiente; Ser reconhecido pelo consumidor; Cuidar da saúde do consumidor e do trabalhador.

BioDiversity é um módulo adicional do GlobalG.A.P. para a melhoria da biodiversidade na agricultura convencional. O módulo BioDiversity estabelece um conjunto de regras, princípios e critérios, que ajudam os produtores a demonstrar as suas práticas de gestão da biodiversidade. Os critérios deste referencial incluem: Plano de ação de biodiversidade da exploração agrícola; Acesso à formação; partilha de conhecimentos e aconselhamento sobre biodiversidade específica da exploração; Sinergias fora da exploração; Áreas dedicadas à biodiversidade; Medidas de proteção e restauração; Gestão integrada de pragas; Plano de gestão do solo e dos nutrientes; Gestão das águas residuais e proteção das fontes de água.

Spring

SPRING é um módulo adicional do GlobalG.A.P. ao nível da exploração agrícola que ajuda os produtores, retalhistas e comerciantes a demonstrar o seu empenho na gestão sustentável da água.

O SPRING incorpora uma vasta gama de critérios para avaliar a gestão sustentável da água na exploração agrícola, que incluem: Conformidade legal das fontes de captação de água e taxas de extração; Monitorização do consumo de água; Impacto dos produtores na gestão sustentável das bacias hidrográficas; Melhores práticas na gestão da água; Proteção das fontes de água; Medidas para demonstrar a melhoria contínua da gestão da água.

Autoria:
Liliana Perestrelo
CEO – Naturalfa

 

Este e outros artigos exclusivos

Na Revista Voz do Campo:

Edição de maio 2022

Subscreva a nossa revista mensal e mantenha-se atualizado: