Em visita à ASCENZA AGRO no dia 30 de março, o Ministro da Economia e do Mar António Costa Silva, ressaltou a “capacidade da empresa em recriar-se e gerar valor através da inovação” de que é prova “o projeto TEC4Green que, no âmbito do PRR, vai contribuir para mudar a face dos fitofármacos em Portugal, na Europa e no mundo”.

Acompanhado pelo CEO e pelo CFO da ROVENSA, respetivamente Eric van Innis e Nuno Loureiro, e pelo COO da ASCENZA, João Martins, António Costa Silva visitou a fábrica e as unidades laboratoriais de resíduos, e de microbiologia e biologia-celular, parte de um complexo que exporta 80% da sua produção.

O Ministro da Economia e do Mar destacou o facto de a ASCENZA “ser a única empresa deste setor com indústria em Portugal e um dos top 5 no seu segmento no sul da Europa”, bem como a diferenciação dos recursos humanos, que “sendo mais de 50% altamente qualificados, só podem contribuir para um futuro muito promissor”.

João Martins, responsável da ASCENZA teve a oportunidade de apresentar a empresa e os projetos em curso, nomeadamente o TEC4Green, que conta com um investimento global de €60 milhões e reúne um consórcio de 18 entidades, apostando na circularidade da cadeia de valor agroindustrial para desenvolvimento de produtos inovadores e recursos de digital farming, agricultura de precisão, descarbonização agronómica e energia verde. Estão em curso, para suporte deste projeto, licenciamentos industriais, avaliações de impacte ambiental e licenciamento ambiental.

Foi também apresentado o projeto de descarbonização, com o objetivo de atingir a meta Gás Zero em 2026 e contribuir para o Net Zero em 2050, o reforço das energias renováveis ao nível da excelência, para manutenção da posição de liderança na gestão dos recursos energéticos. Referiu-se também o Projeto OCEAN ALIVE – Guardiões das Pradarias, que visa a conservação das pradarias do estuário do Sado, através da proteção e incremento da biodiversidade e aumento da captura de carbono.

Nascida há quase cem anos como SAPEC, a ASCENZA é líder nacional em proteção de plantas e 4ª empresa de genéricos na Europa do Sul, sendo a única empresa de proteção de plantas com produção em Portugal. Com um volume de negócios de €192M, significando uma duplicação em menos de uma década, a empresa exporta 80% da produção para 15 países da Europa, Magreb e América do Sul, registando um Ebitda de 19% e investindo 9% do volume de negócios em R&D.

Um dos maiores empregadores da região, com 632 funcionários, 50% de recursos são altamente qualificados, sendo a única empresa portuguesa com capacidade de garantir aprovação de fitofármacos a nível europeu e internacional.

A empresa visa o alinhamento com os objetivos do Green Deal e do Farm to Fork, pela renovação do portfolio de produtos, a requalificação industrial, um novo paradigma empresarial de base colaborativa, a economia circular e uma visão global da sustentabilidade.

EDIÇÃO DE NOVEMBRO JÁ DISPONÍVEL